OS FRUTOS DO PQEC

Os três anos da coordenação de Alaíde Vitorino no Programa de Qualidade das Empresas Contábeis tem saldo positivo; e ela explica como conquistou os atuais resultados
“A percepção do contador vai além da execução correta das tarefas, o empresário contábil e sua equipe devem se reciclar não só tecnicamente, mas em comportamento também”, acredita a coordenadora geral da Comissão do Programa de Qualidade de Empresas Contábeis, PQEC, Alaíde da Silva Pereira Vitorino.

Nesse sentido, ela garante que a qualidade do programa evoluiu de forma considerável ao longo de sua existência. Alaíde faz parte da Comissão do PQEC desde a fundação do programa, lançado há oito anos pelo Sescon-SP. Nos últimos três anos, porém, a profissional passou a coordenar o projeto. “A cada ano foi perceptível a evolução, o crescimento, o aprendizado, a modernização, a troca de idéias e opiniões entre os diretores que constituem a comissão”, comenta.

Na prática, ela ressalta sobre o aumento da vantagem competitiva das organizações que participam do PQEC, alegando que as empresas usam cada vez mais o potencial de seu capital intelectual.

Os motivos do sucesso

Alaíde lembra que os resultados conquistados são consequências dos três pilares utilizados pelo Sescon-SP para a consolidação do projeto: educação continuada; treinamento e desenvolvimento; e melhoria continuada da qualidade.

Na sequência, em busca de uma estrutura mais sólida, de acordo com Alaíde, o Sescon-SP, em 2008, construiu o quarto pilar: a parceria com a Associação Brasileira de Normas Técnicas, ABNT, entidade certificadora da ISO 9000. “O programa promoveu normas e padrões que traduzem a forma de facilitar a prestação dos serviços com ações de melhoria contínua que aperfeiçoe o desempenho, ações corretivas e ações preventivas no sistema de gestão nas empresas contábeis”, salienta Alaíde.

Outra parceria que impulsionou o sucesso do PQEC aconteceu entre a Unisescon e a Escola de Negócios Trevisan, em 2010. O elo, segundo Alaíde, amadureceu a educação continuada, o que garantiu a qualidade e a consequente ampliação do ensino.

Ela inclui em sua lista de contribuintes para o atual sucesso do PQEC o apoio do Presidente José Maria Chapina Alcazar, a quem Alaíde agradece pela confiança que lhe foi depositada, assim como aos diretores do Sescon-SP, “que não mediram esforços para que todos os desafios fossem superados em conjunto”, diz.

Mudanças

Nos últimos três anos do programa, Alaíde destaca alguns diferenciais promovidos, como o plantão de dúvidas existente na sede da entidade, permitindo agendar encontros presenciais com auditores. A grade de cursos também foi atualizada, e o material didático ganhou reforço.

Houve ainda a implantação de planilhas procedentes de controles, e o início de visitas de relacionamentos nas empresas inscritas no programa e certificadas.

Alaíde comenta também sobre as reuniões com a ABNT com o fim de avaliar e diagnosticar as empresas interessadas na certificação ISO 9000. “Hoje, o cliente não vê mais o contador como o velho guarda livros, e sim um aliado indispensável nas relações entre o contribuinte e o fisco”, avalia.

Atualmente, o PQEC conta com 500 empresas participantes, sendo 377 certificadas no PQEC, 45 certificadas no PQEC+ISO e 78 empresas admitidas, que se encontram em cumprimento dos requisitos para a primeira certificação. “A estabilidade do programa é positiva e não podemos negar que estamos sofrendo mudanças muito importantes, e temos que continuar nos preparando com flexibilidade e adaptações: sem perder o foco”, lembra Alaíde.

Fonte: Revista SESCON – Edição nº 284

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *